No primeiro semestre do ano de 2019 cursamos, eu Giovanna Moreira e Nadia Nogues, a disciplina Programação para Dispositivos Móveis e, para sua conclusão, foi necessário desenvolver um aplicativo que pudesse ser utilizado como projeto para competir na 8ª edição do programa Campus Mobile.

O aplicativo desenvolvido deveria contemplar uma das seguintes categorias: Educação, Diversidade, Smart Cities, Smart Farms, Games e Saúde.

Ao conversarmos com a servidora e intérprete de libras do Instituto Federal do Sul Minas Gerais campus Poços de Caldas, Lucinéia de Souza Oliveira , ela nos disse que atualmente Libras foi reconhecida como 2ª língua oficial do Brasil pela lei nº 10.436 de 24 de abril de 2002 e, infelizmente, ainda há uma dificuldade gritante na comunicação dentro das escolas regulares de ensino, causando um déficit no desenvolvimento do português como segunda língua das pessoas com surdez. Com isso, decidimos levar nosso aplicativo para a área de educação, para as pessoas com surdez e o nomeamos “ABC Libras”.

Para o processo de inscrição no Campus Mobile cada participante deveria preencher no portal suas informações acadêmicas, como iniciações científicas, cursos, eventos e qualquer outra atividade realizada anteriormente que fosse relevante para o processo, além das linguagens de programação já aprendidas. Também era necessário adicionar informações sobre o projeto, como a descrição, objetivo e linguagem de programação utilizada.

Toda essa jornada foi de grande aprendizado pois, antes do processo, conhecemos sobre o campus mobile através do site e de vídeos de participantes anteriores e vimos que essa iniciativa tem buscado mudar, facilitar e aprimorar o dia a dia das pessoas de diferentes maneiras. Além disso, para falar sobre o projeto estivemos diretamente em contato com a Lucinéia, intérprete de libras do IFSULDEMINAS – Campus Poços de Caldas e, através dela, conhecemos um pouco mais sobre as dificuldades vivenciadas pelas pessoas com surdez e vislumbramos a possibilidade de ajudá-las utilizando tecnologia.

A linguagem de programação que utilizamos foi Java e o ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) utilizado foi o Android Studio. A escolha por essas tecnologias deu-se por conta da disciplina ministrada pelo nosso professor, que possui grande experiência nessas tecnologias. Além disso, o Android Studio está presente em muitas empresas que optam pelo desenvolvimento nativo.

O objetivo do aplicativo é auxiliar as pessoas surdas no seu processo de alfabetização de forma lúdica. Ele é dividido em duas sessões, sendo a primeira uma sessão de alfabetização, que contém todo o alfabeto em Libras/português e os números. Para cada letra do alfabeto e para cada número, há um vídeo mostrando a configuração de mão e o movimento do sinal. A segunda sessão consiste em jogos interativos, onde a pessoa pode aprimorar os conhecimentos adquiridos na primeira sessão.

Até o momento, a sessão de alfabetização já foi desenvolvida. Já na segunda sessão, a ideia no princípio era dividir os jogos em categorias, como por exemplo, alfabeto, número, família, objetos, animais, entre outros. Porém, até o momento, desenvolvemos jogos somente para as categorias alfabeto e número.

Durante toda a fase de elaboração do projeto, realizamos pesquisas sobre os aplicativos que já existem no mercado para este público, para sabermos qual a estrutura dos aplicativos tanto em relação ao design, às telas, quanto em relação às abordagens utilizadas no desenvolvimento lógico do aplicativo. Com essas pesquisas concluímos que, a quantidade de aplicativos existentes para auxiliar as pessoas com surdez é bastante significativa, porém nenhuma aborda o método de desenvolvimento lógico que optamos por utilizar.

Os aplicativos encontrados no mercado possuem as palavras escritas em português associadas ao sinal em Libras, sendo necessário um conhecimento prévio da língua portuguesa. Já o ABC Libras permite que a pessoa surda tenha o contato com a língua portuguesa através de Libras reconhecendo o alfabeto, formando sílabas, palavras e através dos jogos elas testam os conhecimentos aprendidos.

No fim do processo de desenvolvimento do aplicativo, gostamos tanto da área escolhida que resolvemos cursar a disciplina Libras ofertada no Instituto Federal do Sul Minas Gerais campus Poços de Caldas e, com isso tivemos a oportunidade de vivenciar as dificuldades encontradas para associar Libras com a língua portuguesa. Esperamos que, com a utilização do aplicativo, tal dificuldade possa ser minimizada e as pessoas com surdez tenham mais oportunidades para aprimorar seus conhecimentos e aprendizados da língua portuguesa. Atualmente, o desenvolvimento do aplicativo está parado, pois ingressamos no último ano da faculdade e, para nos dedicarmos totalmente ao desenvolvimento do TCC e realização de estágio, optamos por interromper seu desenvolvimento por agora. Porém, nossa intenção é, futuramente, dar continuidade ao desenvolvimento do aplicativo, seja nós mesmos e até mesmo outras pessoas que se interessarem pela causa. Buscamos terminar a elaboração das categorias dos jogos que estão faltando, aperfeiçoar questões de usabilidade e acessibilidade da plataforma e também, quando finalizado, testarmos o aplicativo com pessoas que possuem surdez no intuito de ratificar sua real eficiência no dia a dia destas pessoas. Por fim, depois de tudo desenvolvido e funcionando perfeitamente bem, queremos publicá-lo na PlayStore para que assim, o aplicativo possa ser baixado, acessado e utilizado por milhares de pessoas, impactando assim suas vidas.